Notícias


05/02/2020 - Aedes aegypti coloca gestantes em alerta durante o verão.




Junto com o verão vem a preocupação com o Aedes aegypti. Por conta das altas temperaturas e umidade, o mosquito tende a se multiplicar e cresce o medo da transmissão de zika, chicungunya e febre amarela, especialmente entre as grávidas. O Dr. Renato Sá, chefe do setor de obstetrícia e medicina fetal e coordenador do Centro de Cirurgia Fetal e Neonatal (CCFN) da Perinatal, explica que no caso da zika, além do risco de microcefalia, o maior receio dos especialistas é a Síndrome da Zika Congênita, ou seja, a infecção na gestante causa outras alterações cerebrais posteriores.


Fonte: Segs


Leia a notícia na íntegra clicando AQUI.



Compartilhe no Compartilhe esta notícia no Whatsapp Compartilhe esta notícia no Twitter Compartilhe esta notícia no Facebook