Destaques


03/03/2004 - Formigas em residências




Nesta época do ano são muitas as reclamações por formigas em residências. São, na sua maioria, espécies de tamanho muito pequeno, difíceis até de serem enxergadas.


No Brasil todo existe cerca de 20 espécies distribuídas pelas cidades. As mais comuns são a Paratrechina longicornis (formiga louca) e a Tapinoma melanocephalum (formiga fantasma). Durante a noite é comum, também, observar formigas de tamanho maior, as carpinteiras, gênero Camponotus.


Nos jardins as formigas lava-pés fazem ninhos com acúmulo de terra e picam dolorosamente. Algumas pessoas, principalmente crianças são muito alérgicas a sua picada.


O controle é mais eficiente quando feito por meio de iscas, que atraem as formigas. Na isca existe um inseticida em baixa concentração, que mata aos poucos os membros da colônia, compostos por crias (ovos, larvas e pupas) e os adultos (operárias, rainhas e machos).


A utilização de inseticidas em spray pode piorar a infestação, pois promove a fragmentação dos ninhos. As formigas percebem o cheiro do veneno e saem em busca de um abrigo mais seguro.


É importante identificar a espécie de formiga para que seu controle seja mais direcionado.


O Instituto Biológico em São Paulo faz este tipo de serviço (identificação e sugestão da forma mais adequada de controle). Para informações de procedimento deve-se escrever para divulg@biologico.sp.gov.br ou ligar para o telefone (0xx11) 5087-1793.




Fonte: Texto elaborado pela Dra. Ana Eugênia de C. Campos-Farinha, Pesquisadora Científica, Instituto Biológico, São Paulo



Compartilhe no    Compartilhe este destaque no Whatsapp Compartilhe este destaque no Twitter Compartilhe este destaque no Facebook