Destaques


13/02/2013 - Estudo mostra que gene define comportamento social de formiga




Cientistas conseguiram desvendar a complexa estrutura social das formigas-de-fogo (Solenopsis invicta) inseto endêmico da América do Sul, também encontrado no Brasil, que é considerado uma praga atualmente impossível de controlar.


Segundo estudo divulgado pela publicação científica “Nature”, uma alteração nos cromossomos consegue dividir a mesma espécie em duas diferentes formas de comportamento em grupo.


A variação genética explicaria o motivo de algumas colônias terem mais de uma rainha, enquanto outras têm apenas uma.


Tal fato pode ajudar a desenvolver novos inseticidas para combater essa espécie de formiga, conhecida por sua picada dolorosa e pela dificuldade de ser exterminada - por isso esse inseto carrega no nome em latim a palavra invencível (S. invicta), uma alusão aos esforços voltados a combatê-la, que foram em vão.


Supergene


Para obter o resultado citado, os pesquisadores analisaram os genomas de mais de 500 formigas-de-fogo para entender esse fenômeno.


Os cientistas viram que a diferença na organização da colônia é determinada por um cromossomo que tem duas variações, tratado no estudo como supergene. Chamadas de B e b, as variantes se desenvolvem de forma semelhante aos cromossomos X e Y, que determinam o sexo nos humanos.


Os estudiosos verificaram que formigas operárias portadoras do cromossomo de variação B aceitam apenas rainhas que tinham o cromossomo BB. Já as operárias com o cromossomo b aceitavam várias rainhas portadoras do supergene Bb.


De acordo com um dos autores do estudo, o pesquisador Yannick Wurm, da Faculdade de Ciências Biológicas e Química da Queen Mary, Universidade de Londres, no Reino Unido, as diferenças no cromossomo das formigas seguem padrões semelhantes ao polimorfismo (variedades de uma mesma espécie) que ocorre na formação de asas de borboletas ou de cânceres em seres humanos.


Ele explica ainda que entender tais variantes cromossômicas na determinação do caráter social da formiga ajuda a determinar traços fundamentais do comportamento de outras espécies.




Fonte: G1 - 2013

Foto: Romain Libbrecht e Yannick Wurm/Nature



Compartilhe no    Compartilhe este destaque no Whatsapp Compartilhe este destaque no Twitter Compartilhe este destaque no Facebook