Pragas Urbanas

Mosca Doméstica

  • Introdução
  • Biologia
  • Prevenção
  • Controle
  • Destaques

As moscas pertencem à Ordem Diptera e possuem apenas um par de asas membranosas correspondente às asas anteriores, daí o nome da ordem (di = duas, ptera = asas). O par posterior transformou-se em duas estruturas, de tamanho reduzido, chamadas de halteres ou balancins, os quais dão equilíbrio ao inseto durante o vôo. Os dípteros pertencem a um dos quatro maiores grupos de organismos vivos existindo mais moscas do que vertebrados. Não ocorrem somente nas regiões ártica e antártica. Os dípteros apresentam metamorfose completa, isto é, apresentam as fases de ovo, larva, pupa e adulto.


Conhece-se aproximadamente 120.000 espécies de dípteros e estima-se que existam mais 1 milhão de espécies viventes. Estas espécies estão divididas em 188 famílias e aproximadamente 10.000 gêneros, sendo que por volta de 3.125 espécies são conhecidos apenas por registros fósseis. O mais antigo destes data de 225 milhões de anos atrás.


Podemos reconhecer as moscas pela cabeça, nitidamente distinta e móvel, com dois grandes olhos facetados, isto é, como se fosse dividido em várias partes (facetas). Algumas moscas possuem o aparelho bucal com capacidade para absorver líquidos enquanto que em outras o aparelho bucal é do tipo picador.


Do ponto de vista benéfico alguns dípteros são importantes para o homem, tais como as espécies de Drosophila que são utilizadas como animais experimentais principalmente para estudos genéticos. Algumas espécies são utilizadas como agentes de controle biológico de plantas daninhas bem como de insetos pragas.


Algumas moscas são hematófagas, isto é, alimentam-se de sangue, como por exemplo, as mutucas, mosca-dos-estábulos, mosca-do-chifre, etc. Entretanto, algumas moscas, mesmo não sendo hematófagas, são muito importantes na sáude pública, como a mosca doméstica e a mosca varejeira. As primeiras atuam como transportadores mecânicos de agentes patogênicos (vírus, protozoários, bactérias, rickétsias e ovos de helmintos), as últimas causam as míiases, também conhecidas por bicheiras ou berne.


Moscas são muito comuns em áreas rurais e urbanas. No ambiente urbano algumas espécies adaptaram-se bem às condições criadas pelo homem, mantendo uma dependência chamada de sinantropia. Algumas espécies são altamente sinantrópicas, isto é, possuem grande adaptação ao ambiente urbanizado, enquanto outras são pouco sinantrópicas, ou seja, não apresentam tolerância ao processo de urbanização. Dentre as altamente sinantrópicas estão a mosca doméstica (Musca domestica), as moscas-dos-filtros (Telmatoscopus albipunctatus, Psychoda alternata, Psychoda cinerea, Psychoda satchelli), as mosquinhas (Drosophila spp.) e as moscas Chrysomya.

MOSCA DOMÉSTICA


Reino: Animal

Filo: Arthropoda

Classe: Insecta

Ordem: Diptera

Família: Muscidae

Subfamília: Muscinae

Gênero: Musca

Espécie: Musca domestica



A mosca doméstica (Musca domestica) é uma espécie não picadora, provida de tromba mole. Os ovos são brancos e ovóides, com uma das extremidades mais larga, medindo cerca de 1mm de comprimento. Cada fêmea coloca por volta de 120 a 150 ovos de cada vez, sendo depositados em substâncias orgânicas, como lixo, esterco ou qualquer outro tipo de matéria orgânica em decomposição. Os ovos demoram geralmente de 8 a 24 horas para a eclosão das larvas, dependendo da temperatura.


As larvas recém eclodidas são brancas e muito ativas e passam por 3 estágios de desenvolvimento, também denominados estádios ou ínstares. É na fase larval que a mosca cresce, assim, o tamanho da mosca adulta depende do tamanho máximo que a larva alcançar. Podem pupar na própria matéria orgânica em decomposição ou abandonam o lugar onde vinham se alimentando e procuram um local mais seco, como a terra fofa ou arenosa, onde penetram. O pupário, no qual encontra-se a pupa, é endurecido, escuro e tem forma de um pequeno barril. No verão a fase de pupa dura de 3 a 6 dias, mas nos dias mais frios este período pode ser prolongado, chegando a várias semanas. Assim que a mosca completa sua transformação para o estágio adulto, que ocorre dentro da pupa, a mosca abre uma das extremidades do pupário com a cabeça, estende suas asas e sai.


As fêmeas copulam logo após a emergência ou 24 horas depois. Iniciam a postura dos ovos após 2 ou 3 dias, sendo que este período pode se prolongar até o vigésimo dia após a emergência. Uma fêmea pode fazer até 6 posturas, depositando a média de 400 a 900 ovos durante toda a sua vida.


Os insetos possuem atividades comportamentais características para cada espécie, estando associados à busca do alimento e de um local propício para o desenvolvimento dos seus ovos.


A mosca doméstica encontra-se nas áreas urbanas e é atraída para os diferentes locais através do cheiro, que é disperso pelo vento.


A mosca doméstica, espécie mais comum em ambientes urbanos, tem uma maior atividade nas horas mais quentes do dia e à noite passa um longo período de repouso, pousada em fios, cercas, vegetações, etc. Esse período de descanso pode ser comparado ao sono do homem ou de animais, entretanto dormir é uma característica que não se aplica às moscas, tampouco a outros insetos, elas apenas repousam, não fecham os olhos, deitam, sonham, etc.


Vários estudos demonstraram que a mosca doméstica pode levar os bacilos da febre tifóide (Salmonella typhosa) nas pernas, corpo, tromba ou expulsá-la pela regurgitação ou nas fezes. Pode transmitir ainda diarréia, conjuntivites, lepra, tuberculose, tifo, gonorréia, erisipelas, cólera, meningite cérebro-espinal, peste bubônica, entre outras.


Muitas doenças causadas por vírus também podem ser transmitidas pela mosca doméstica, tais como, varíola, poliomielite, oftalmia purulenta, etc.


Veiculam ainda protozoários, podendo causar a disenteria amebiana, além de vermes, pois trazem seus ovos quando pousam em fezes humanas ou esterco de animais e logo a seguir entram em contato com o alimento humano.

Basicamente previne-se uma infestação de moscas adotando-se medidas culturais, tais como, colocação de telas em portas e janelas, manutenção do lixo em sacos plásticos ou latas de lixo bem fechadas, e manter os alimentos tampados são eficientes e indispensáveis.

Os métodos de controle de moscas consistem na adoção de medidas sanitárias visando a destruição dos criadouros ou das larvas, associadas ao controle dos adultos por vários processos mecânicos e químicos.


Os processos mecânicos de controle de adultos consistem na disposição de armadilhas que podem ou não conter inseticidas. As armadilhas luminosas são bastante utilizadas, principalmente em restaurantes e açougues. Elas são munidas de luz ultravioleta com um bom refletor que aumenta a emissão dos raios atraindo moscas em uma área maior. As armadilhas devem ser limpas periodicamente. Algumas armadilhas têm cola, onde as moscas ficam grudadas, algumas possuem grades onde os insetos morrem eletrocutados. O bastão pega-mosca é um outro tipo de armadilha que consiste em um tubo longo com cerca de 50 a 60 cm de comprimento que deve ser dependurado em local alto. As moscas pousam no bastão que possui uma camada de cola de onde não conseguem mais sair.


É comum observarmos em barracas de feiras livres que vendem carnes e locais onde se faz churrasco ao ar livre, saquinhos plásticos transparentes, com água, dependurados. Acredita-se que os raios solares que incidem no saquinho podem desorientar as moscas fazendo com que abandonem o local. Portanto os saquinhos não funcionam se colocados à sombra. No caso de manipulação de carne para churrasco esta deve ser realizada ao ar livre e os saquinhos devem ser dependurados em varais, sobre a mesa, para que os raios solares incidam sobre estes.


A palmatória é um instrumento conhecido de longa data pelos brasileiros. Consiste de um cabo longo de madeira, ou outro material resistente, com um plástico perfurado alargado em uma de suas extremidades. Deve-se utilizar a parte alargada acertando a mosca com força quando pousada.


Garrafas pega-moscas também podem ser utilizadas. Estas podem conter ou não inseticidas. Consistem de garrafas de plástico transparente com aberturas circulares próximas da parte superior. Estas aberturas devem ser largas o bastante para que as moscas entrem na garrafas mas não consigam sair. No fundo da garrafa pode-se adicionar iscas granuladas. Algumas garrafas são adquiridas em casas especializadas e contém feromônio sexual (muscalure).


Os métodos químicos consistem em aerossóis, iscas tóxicas, pulverizações residuais, e pulverizações espaciais.


Os aerossóis são facilmente encontrados em supermercados e são para pronto uso. Algumas precauções devem ser tomadas como: cuidado na direção do spray para que o jato de inseticida não caia no olho do aplicador, e não aplicar diretamente sobre chamas de fogão ou tomadas elétricas, pois podem ocasionar explosão ou incêndio.


As iscas tóxicas podem ser usadas no ambiente domiciliar. Existem no mercado iscas granuladas que devem ser dispostas nos locais onde ocorrem as moscas que são atraídas, alimentam-se e morrem por ingestão.


As pulverizações residuais e espaciais devem ser realizadas por pessoal profissional, desta forma, uma empresa de desinsetização deve ser contratada.




PRODUTOS DE USO PROFISSIONAL INDICADO PARA O CONTROLE:


ACTELLIC PROF - SYNGENTA

CYMPERATOR 25 CE - SYNGENTA

CYPER SERVER 200 CE - SERVER QUÍMICA

CYPEREX 250 CE - ROGAMA

CYPEREX 400 PM - ROGAMA

DDVP 1000 CE - ROGAMA

DELTEK 2,5 ME - ROGAMA

DEMAND 10 CS - SYNGENTA

DEMAND 2,5 CS - SYNGENTA

FORTIS PRO - SYNGENTA

ICON 10 PM - SYNGENTA

ICON 2.5 EW - SYNGENTA

ICON 5 CE - SYNGENTA

K-OTHRINE CE 25 - 1 LITRO - BAYER

K-OTHRINE WG 250 - BAYER

MOSCAZUM - SERVER QUÍMICA

OPTIGARD LT - SYNGENTA

SOLFAC SC 1 LITRO - BAYER

TEMPRID SC - BAYER

VEJA MAIS DESTAQUES CLICANDO ABAIXO:


Por que é tão difícil pegar uma mosca?

Por que não podemos acabar com as moscas?

Mosca-varejeira usa saliva para se refrescar

Larvas de mosca voltam a ser usadas para tratar feridas crônicas

Moscas ajudam a solucionar crimes e podem até identificar assassinos

Mosca que viveu há mais de 15 milhões de anos é descrita

O que acontece quando uma mosca pousa sobre sua comida?

Cuidado com as moscas: elas também propagam genes das superbactérias

Cientistas descobrem mosca que rouba alimentos de plantas carnívoras

Maior mosca do mundo pode enfrentar dois novos desafiantes

Estudo desvenda evolução de moscas-varejeiras

Moscas podem espalhar bactérias resistentes a antibióticos

Genoma da mosca dá pistas para cura de doenças

Biólogos encontram vínculos entre vermes, moscas e humanos

Com investimento militar, estudo copia mecanismo auditivo de mosca

Cientista colombiana afirma que moscas podem curar feridas

Imagens de raio-X capturam mecanismo de moscas durante voo

Moscas que acasalam menos morrem mais cedo, diz estudo

Você sabia que o tempo passa mais devagar para as moscas?

O cérebro da mosca fala sobre o envelhecimento humano

Moscas alimentam larvas com álcool para proteger de parasita

Mosca assassina deposita larva para decapitar formigas invasoras

Cientistas mantêm vivas larvas de moscas congeladas

Menor espécie de mosca do mundo é descoberta

Mosca parasita transforma abelha em ‘zumbi’

Moscas transformam formigas em incubadoras zumbis

Moscas antecipam o perigo para planejar a fuga, dizem cientistas

Álbum de família

O alfabeto da visão

Larvas terapêuticas

Grupo de cientistas cria agressividade em laboratório

Mosca pode carregar fungos

Como moscas e outros insetos conseguem caminhar sobre janelas e muros

O vôo da mosca

A Mosca-do-berne é perigosa?