Destaques


02/05/2007 - As formigas do Brasil




Elas são pequenininhas, estão por toda a parte e algumas são verdadeiras feras! Com vocês, as formigas do Brasil!


Se existe um bicho que raras vezes é lembrado quando o assunto é animal silvestre é exatamente aquele com que talvez tenhamos mais contato, mas por serem tão pequenos, normalmente eles são ignorados. Mas quando resolvem incomodar é pra valer!


“A formiga que tem na picada a ferroada mais dolorida é a verdadeira tucandeira. Uma ferroada dela deixa a região onde ela ferroa enrijecida, dolorida por um período de pelo menos duas horas”, comenta Ana Harada, pesquisadora do Museu Emilio Goeldi, no Pará. “Em cada formigueiro são milhões de formigas! E quem manda nesse formigueiro é uma única rainha, absolutamente poderosa”, completa a pesquisadora.


Uma rainha só é poderosa, por que além de inteligente, sabe como manter a ordem no formigueiro. “É uma coisa até bonita, por que ela sai andando, e várias operárias vão atrás dela como se fosse um passeio de uma rainha. A rainha, andando pelo formigueiro, ela sabe do que ela precisa. Por que a rainha bota o ovo do que vai nascer. Então se ela precisa de jardineiras, que são as operárias que cuidam do fungo, do jardim do fungo, ela bota ovos pra jardineiras; se ela precisa de carregadeiras ou cortadeiras, ela bota ovos pra cortadeiras e pra carregadeiras; então ela controla dessa maneira o seu formigueiro”, explica Luiz Mello, pesquisador do zoológico de São Paulo.


A rainha ainda tem uma arma secreta para manter a harmonia em seu reino: em sua grande maioria ela só produz operárias estéreis. “Você não tem operárias macho, operárias fêmeas, e segundo as pessoas que trabalham falam que por isso um formigueiro funciona bem, né? Você não tem nem macho, nem fêmea competindo por uma estrutura”, diz Luiz Antônio.


Lembra da história da cigarra e da formiga? Numa coisa ela acertou: as formigas trabalham. E muito! “Se você passar aqui às três horas da manhã elas vão estar trabalhando. Elas passam o dia trabalhando. A função dela é trabalhar, uma operária nasce, vive aproximadamente 90 dias e se fosse monitorar algumas delas você vai ver que elas não estão paradas. E elas não descansam”, afirma Luiz Antônio. Trabalho é uma característica comum a todas as espécies de formigas. “Há aproximadamente dez mil espécies de formigas descritas no mundo.


No Brasil, duas mil espécies de formigas determinadas e na área urbana, de 20 a 30 espécies”, enumera Ana Campos-Farinha, pesquisadora do Instituto Biológico de São Paulo. E algumas as donas de casa conhecem bem! “Ela faz ninhos em estruturas, falhas nas estruturas, por exemplo, atrás dos azulejos. Um erro grave que a dona de casa comete é usar produtos, inseticidas em spray, jogando sobre aquelas formigas que ela vê. Só 5% das formigas saem normalmente para buscar alimentos. Então, ela mata só esses 5% e os outros 95% que estão dentro da colônia percebem o cheiro do inseticida e tratam de fugir dali e infestam outros locais anteriormente não infestados por formigas. Quando vê formiga, limpa com um pano ou com uma esponja com água e sabão e pode injetar uma solução de água e detergente em partes iguais com o auxilio de uma seringa, uma agulha nos orifícios onde elas entram e saem”, ensina a pesquisadora.


Mas tem formiga de que muita gente gosta. E como gosta!


“A tanajura, em algumas regiões do país, serve de alimento. As pessoas coletam na época de revoada as tanajuras, e usam o abdômen dessas formigas na alimentação, na culinária”, diz Ana.


E tem uma espécie de formiga, a saúva, que foi considerada uma praga e ate uma ameaça à segurança nacional. “Tanto é que tinha uma frase há muito tempo atrás que dizia: ‘Ou a saúva acaba com o Brasil ou o Brasil acaba com a saúva’, de tão séria que era a praga. Mas era uma praga por causa do homem. Todo organismo se torna praga por interferência humana, isso é que tem que ficar bastante claro. Assim como a saúva, assim como o cupim, assim como qualquer outra espécie de organismo que se torna praga”. O que muita gente não sabe é que a saúva, assim como as outras espécies de formigas, tem um papel muito importante na preservação do meio ambiente. “A gente pode chamar a saúva de ‘a jardineira da natureza’, por que elas podam as plantas e algumas plantas só florescem, frutificam ou crescem por conta desse corte. Então ao retirar uma espécie de saúva de uma área natural, por exemplo, pode acontecer uma perda da diversidade de plantas dessa área”, alerta Ana.


Então de hoje em diante fica combinado: o Brasil preserva as formigas! E elas ajudam o Brasil a preservar a natureza!


E no próximo domingo: segundo algumas religiões são elas que levam a nossa alma para o céu. O símbolo da transformação: as borboletas! Esse é o Brasil! E o Brasil é o bicho!


Assista o video do programa Fantástico, CLIQUE AQUI




Fonte: www.globo.com/fantastico



Compartilhe no    Compartilhe este destaque no Whatsapp Compartilhe este destaque no Twitter Compartilhe este destaque no Facebook